DICA 3: AS PISTAS E SUAS MUDANÇAS

 

 

 

 

 

 

DICA Nº 3

 

AS PISTAS E SUAS MUDANÇAS

Por que parece que as pistas mudam? O asfalto é o mesmo, o lugar é o mesmo!

Simples: a cada volta que damos na pista, o kart vai esquentando os pneus, ao mesmo tempo em que retira a fuligem ou pó trazido pelo vento e depositado no asfalto, e também firmado na pista devido ao sereno da noite.

Se estamos em tempo seco, sem chuvas, a variação da pista está diretamente ligada a quantidade de corridas que já houve no dia. Quanto mais karts estiverem rodando, melhor vai ficando a pista e os tempos de volta só melhoram!

Também influi a umidade do ar e a temperatura. Alguns karts melhoram ou pioram conforme a umidade do ar porque a queima do combustível dá maior ou menor explosão conforme a densidade do ar na entrada do carburador influindo na mistura.

Em karts de uso individual é fácil solucionar, porém em Karts de aluguel ou indoor fica impossível fazer acertos devido a equalização que é feita constantemente, procurando equilíbrio e a igualdade entre os karts.

 

COMO RESOLVER?

Voltamos a nossa dica número 2: procure entender seu equipamento. A pista melhorou ou piorou, os tempos de volta mudam!

Não é o piloto que determina e sim os fatores e suas variáveis.

Procure caprichar na pilotagem e vá observando os tempos de todos os competidores.

O melhor a fazer com a pista ruim é tentar virar sempre no mesmo tempo, evitando erros e desvantagens.

Se errarmos 1 décimo de segundo em cada curva, teremos a perda de 01 segundo em 10 curvas.

Faça as contas e se dê conta dos prejuízos!

 

PRÓXIMO BLOCO:

Comportamento dos vencedores

Boa diversão a todos!

Atenciosamente:

Toninho da Prata

Diretor do Kartódromo Internacional de Betim

DICA 2 – ENTENDA SEU KART

 

 

 

 

 

DICA Nº 2

ENTENDA SEU KART!

Amigos kartistas, hoje vou falar sobre detalhes que podem ser interessantes para o kartista iniciante ou profissional.

Todo piloto precisa reconhecer as reações do kart que tem em mãos.

Não se precipite! Dê as primeiras 3 ou 4 voltas tentando perceber como seu kart reage ao seu modo de pilotar.

Após estas voltas iniciais você já percebeu que o kart tem um freio mais rápido ou mais lento; percebeu se nas curvas ele obedece de imediato ou sai de frente, comprometimento a saída de curva com rapidez.

 

COMO FAZER

Retire o pé do acelerador um pouco antes e tente virar suavemente, deixando o kart rolar como um carro em ponto morto.

E se não der certo?

Insista mais algumas voltas passando sempre no mesmo lugar e sem agredir muito. A tendência é o equipamento começar a obedecer.

E se estiver saindo de traseira ou “escorregando muito”, como é comum os pilotos dizerem?

Neste caso, após as voltas de aquecimento, sempre passando no mesmo traçado – ISTO É IMPORTANTE – SEMPRE NO MESMO TRAÇADO! – se necessário, diminua freando reto e aponte para fazer a curva com a aceleração que o kart aceita sem derrapar, e evitar usar o volante bruscamente.

Na gíria do kartismo, dizemos: guiar redondo, sem trancos, rolando o equipamento.

Só se consegue estes efeitos com treino e muita calma e atenção!

LEMBRE-SE!

Os karts são idênticos em chassi e motor, porém as reações vão mudando no decorrer das disputas e também na forma de pilotar.

Se usarmos o bom senso, podemos tirar o máximo que o equipamento oferece, mesmo que ele  não esteja na sua mais perfeita ordem.

 

E QUANDO O KART ESTÁ REALMENTE RUIM OU NÃO CONSIGO ME ADAPTAR?

Neste caso, se for possível, troque de equipamento antes da competição.

 

FIQUE ATENTO ÀS NOSSAS DICAS!

Vamos passar dicas e experiências, para que todos tenham o maior prazer neste esporte que é mais que apaixonante!

 

PRÓXIMO BLOCO:

As pistas e suas mudanças.

 

Boa diversão a todos!

Atenciosamente:

Toninho da Prata

Diretor do Kartódromo Internacional de Betim